NovAmosanta: Parabéns ao Prefeito Bernardo Rossi – e Agora ao Trabalho !

“O futuro de Petrópolis está aqui em suas mãos.
São propostas e ideias de Bernardo Rossi para os próximos anos.
Para recuperar a qualidade de vida que já tivemos e foi perdida no tempo. É você que vai escolher o caminho que Petrópolis vai seguir.”

(do Plano de Governo Bernardo Rossi 2017-2020)

Neste domingo trinta de outubro Petrópolis decidiu como queria que fosse seu futuro e entregou a prefeitura ao jovem petropolitano Bernardo Rossi.

O caminho não será fácil mas temos certeza de que o novo prefeito Bernardo envidará todos os esforços para “recuperar a qualidade de vida… perdida no tempo”… (e estamos olhando particularmente os Distritos, até agora abandonados à sua sorte… sem descurar do primeiro e importante distrito de Petrópolis). Temos certeza também que esses esforços serão plenamente recompensados com uma nova e melhor realidade no fim do caminho que inicia.

A NovAmosanta – Distritos de Petrópolis – estará junto com a prefeitura nessa empreitada, cobrando a realização das promessas e ajudando a realizá-las: cobrando e colaborando como sempre procurou fazer.

E pelo exemplo recente de sucesso do projeto “Distritos de Petrópolis”, patrocinado unicamente por cidadãos dos distritos, podemos dizer que o novo prefeito Bernardo terá o apoio da sociedade civil dos distritos para realizar sua trabalhosa missão.

Parabéns a Bernardo Rossi pelo êxito na difícil campanha que enfrentou em busca de ser o Prefeito da Cidade Imperial, parabéns pela realização.

E muito boa sorte em seu mandato, bem como muito boa sorte para Petrópolis: o trabalho nos aguarda!

Jorge de Botton
NovAmosanta – Presidente

Link: Bernardo Rossi – Plano de Governo 2017-2020 (arquivo pdf).

Bernardo Rossi é o novo prefeito de Petrópolis

Original: http://e-tribuna.com.br/ler/bernardo-rossi-e-o-novo-prefeito-de-petropolis/5738 (e-tribuna  30/10/2016)

B. Rossi (e-tribuna)

O candidato do PMDB Bernardo Rossi chegou ao cargo de executivo municipal de Petrópolis. Com 79.296 votos, o petropolitano derrotou o concorrente Rubens Bomtempo (PSB), que teve 71.320. Esta é a segunda vez que Bernardo disputa as eleições municipais. Em 2012, o candidato foi derrotado por Bomtempo. Já em 2014, disputou as eleições estaduais e foi eleito como deputado. Em seguida, ele foi nomeado como Secretário de Estado de Habitação.

Aos 36 anos, Bernardo Rossi, é formado em Direito e está há mais de uma década na política. Deputado mais votado na história da cidade com 56.806 votos em 2014, acumula ainda a experiência de administrador público e legislador tendo sido eleito duas vezes vereador e duas vezes deputado estadual. Na Alerj, Bernardo ocupou a presidência da Comissão de Constituição e Justiça, a mais importante do parlamento, e atuou como vice-corregedor da Casa.

O candidato ficou à frente da Secretaria de Estado de Habitação por um ano e inseriu Petrópolis em alguns dos programas do setor desenvolvidos pelo Estado: construção de casas, indenizações, aluguel social, prevenção em habitação e regularização fundiária. Hoje, mais de 70 mil petropolitanos são beneficiados em programas aplicados pelo Estado em Petrópolis apenas na área habitacional.

Em dois mandatos como deputado, apresentou mais de 250 projetos e indicações que beneficiaram Petrópolis e a Região Serrana. Atuou ainda para a renovação da Lei da Moda, que garante ICMS reduzido para a indústria da confecção até 2018 e a adoção de tributação diferenciada para a produção de cerveja artesanal, assim como a produção de móveis que também recebeu benefício fiscal para se consolidar e expandir. Juntos, os setores empregam 43 mil pessoas em Petrópolis.

Com estes incentivos já em vigor, Bernardo, em seu segundo mandato, apresentou outros importantes projetos para recuperar a economia da cidade como a utilização das fábricas abandonadas, o ICMS Turístico e programa de estímulo aos condomínios tecnológicos.

Na Educação, conquistou o campus da UERJ que iniciou este ano o seu primeiro curso, de Arquitetura, e 500 bolsas de ensino superior na UCP, além do Centro Vocacional Tecnológico. Na área da saúde, aprovou leis pioneiras no estado focadas na saúde da mulher: a vacina contra o câncer do colo do útero foi uma iniciativa do candidato na Alerj e acabou se tornando um programa em todo o país pelo SUS. E o Estado do Rio, por força de lei de Bernardo, ganhou autonomia para oferecer o exame de mamografia ampliando a faixa etária – a partir de 39 anos – para as mulheres que passaram a ter resguardado o direito de fazer o exame de graça na rede pública.


Ainda em campanha no debate no segundo turno em Itaipava. Da esquerda: vereador Paulo Igor, vereadora Gilda Beatriz, prefeito Bernardo Rossi (foto NovAmosanta)

NovAmosanta, em parceria com PCVB e SindPetrópolis, promove o segundo debate com os candidatos a prefeito

F. Varella, vice-presidente da NovAmosanta lê a carta compromisso a ser assinada pelos candidatos.

Nesta última sexta foi a vez do segundo debate com os candidatos para falar dos planos para os distritos e para o turismo no município.

Com mais de cem pessoas no evento, os candidatos apresentaram suas idéias e assinaram uma carta compromisso, com os pontos que as três entidades colocaram como relevantes para a gestãoque se inicia.

Veja abaixo os 7 pontos colocados pela NovAmosanta.


Região dos Distritos
Pontos importantes para uma gestão que se inicia
(da Carta Compromisso)

  1. Desenvolvimento de um plano urbanístico que contemple as varias soluções existentes de mobilidade e de equipamento urbano, ai incluídos o parque de exposições e o horto.
  2. Fortalecimento da subprefeitura dos distritos com delegação e autonomia de resolver o dia a dia da região , evitando o deslocamento ao centro.

    Bomtempo assina carta compromisso.
  3. Ampliação do posto de saúde de Itaipava, com mais áreas de atendimento , descentralizando os serviços de saúde do município.
  4. Envolvimento na busca de uma solução para o término da obra da nova subida da serra , na BR-040.
  5. Envolvimento no equacionamento da gestão da União Indústria e implementação das intervenções viárias nos acessos aos bairros.

    Rossi assina carta compromisso. À esquerda Fernando Varella, vice-presidente da NovAmosanta
  6. Dar especial atenção a infraestrutura de serviços (energia elétrica , telefonia, internet), atualmente um fator impeditivo de crescimento econômico.
  7. Desenvolver o turismo rural, e o agronegócio em seus vários segmentos, integrando com o calendário turístico, com um circuito de feiras orgânicas e agro-ecológicas com destaque para o parque de exposições.

Logo após B.Rossi, assinam a carta compromisso: SindPetrópolis, NovAmosanta e Petrópolis Convention & Visitors Bureau. Ao fundo a representante da OAB. (a versão da carta assinada por Bomtempo também foi assinada pelas instituições)

Jorge de Botton assina a carta récem-assinada por B. Rossi.

Nessa sexta: Bernardo Rossi & Bomtempo e Eleições Municipais 2016 – Debate 2o Turno:

Bernardo Rossi

A NovAmosanta, o Petrópolis Convention & Visitors Bureau e o SindPetrópolis convidam os cidadãos do Município de Petrópolis, em particular com moradia nos Distritos, para o
Encontro com os Candidatos a Prefeito no Segundo Turno de 2016.

Os candidatos Bernardo Rossi e Bomtempo já confirmaram suas presenças.

Rubens Bomtempo

Ambos irão apresentar suas propostas de governo e responderão a perguntas feitas pelas entidades acima, que promovem o evento, e pelas entidades Firjan, APOPE, Sicomércio.
Responderão também a perguntas do público presente.

É o momento de conhecer melhor as propostas e as idéias da cada candidato, bem como registrá-las para acompanhamento das realizações do mandato do prefeito eleito.

É o momento de exercer sua cidadania.

A OAB – Subseção Petrópolis, destacou, para acompanhar o trabalho, a Dra. Adriana Paixão, que assessorará o encontro.

Sexta-feira próxima, 21 de outubro, às 18 horas
Centro de Convenções do Flat Itaipava Center (ao lado do Empório Multimix)
Estrada União e Indústria, 10.337, Itaipava.
Aberto ao público.


Falta de dinheiro não deve assustar prefeitos, diz Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba

da Folha de S.Paulo

RAUL JUSTE LORES
ENVIADO ESPECIAL A CURITIBA

Jaime Lerner 2015 - Folha de S.Paulo

08/09/2016  02h00

Candidatos a Prefeito precisam lembrar que “mobilidade é colocar moradia perto do trabalho e que só rua bonita, vibrante faz as pessoas querem caminhar”, diz o arquiteto Jaime Lerner, 78, que governou Curitiba por três mandatos.

“Ficamos construindo guetos para pobres nesse ‘Minha casa, minha vida, meu fim de mundo’, que depois custa uma fortuna levar infraestrutura tão longe, onde a dependência do carro é total.

Lerner estreia documentário que trata de cinco décadas de arquitetura, urbanismo e política. “Jaime Lerner — uma história de sonhos”, dirigido por Carlos Deiró, estreia nesta quinta (8) no Caixa Belas Artes. Haverá debate no Espaço Itaú Frei Caneca, às 20h. A entrada é gratuita, com retirada de ingressos uma hora antes do evento.

Com o registro de elogios de colegas de profissão de Oscar Niemeyer a Paulo Mendes da Rocha e João Filgueiras Lima, o Lelé, ele deixa transparecer certo ressentimento por suas ideias terem vingado primeiro no exterior que em cidades brasileiras, como os corredores de ônibus.

O ex-prefeito, fora da política partidária há 14 anos, admite que Curitiba “deixou de inovar há pelo menos uns dez anos” e que o sistema de transportes “piorou muito”.

Barato não atrai

“Curitiba foi contra a corrente. Investimos em transporte público quando só se faziam obras viárias —o rodoviarismo até hoje manda no Brasil. As pessoas se curvam, se ajoelham para o ídolo de metal, que é o carro, o cigarro do futuro. Os corredores de ônibus levaram 40 anos para “pegar” no Brasil, só depois que Bogotá, Nova York e a China adotaram. Soluções simples, que não envolvem muito dinheiro, não fazem muito sucesso por aqui.”

Resultado rápido

“Inovar é começar. Melhor trabalhar rápido e mostrar resultados que gastar muito tempo com teorias. Fizemos o primeiro calçadão do Brasil em 72 horas. As pessoas tinham que ver e sentir o resultado, explicação nenhuma funcionaria como a demonstração na prática. Defendo obras rápidas e simples.”

Meu fim do mundo

“Morar mais perto do trabalho é o grande desafio da mobilidade. Ficamos gastando bilhões com o “Minha casa, minha vida, meu fim do mundo”. É um retrocesso. Continuamos a criar guetos distantes, que só são alcançados por carro. São Paulo tem 25 m² para um carro em casa, 25 m² para estacionar no trabalho. Se vocês têm 5 milhões de espaços para os carros paulistanos, vocês poderiam ter 2,5 milhões de moradias ou escritórios no lugar. A cidade nem precisaria ter periferia com essa troca.”

Só nome é europeu

“O mercado imobiliário coloca nomes europeus em tudo quanto é edifício, mas faz o oposto da cidade europeia. Em Paris, você pode morar em um apartamento de 20 m², um antigo quarto de empregada adaptado, mas terá uma cidade linda para desfrutar. Aqui a gente tenta trazer a cidade para o prédio, o espaço de brincar, de comer, gourmet, tudo apertado com muro alto. Sobra pouco para uma cidade diversa além-muros. A rua tem que ser vibrante, viva, para as pessoas terem vontade de usar.”

Egoarquitetura

“Prefeitos não devem se assustar com falta de dinheiro. Fizemos parques com tubos e postes de madeira que compramos das empresas de telefonia e energia e reciclamos. Dinheiro demais atrapalha. Disse pro [arquiteto] Richard Rogers quando visitou Curitiba, “talvez você não goste da arquitetura, mas vai gostar dos espaços públicos”. Prefiro a ecoarquitetura que a egoarquitetura.”

Pagar pelo lixo

“Nossa grande campanha de reciclagem do lixo começou em 1989. Começamos pelas escolas, todas as crianças foram ensinadas a separar o lixo. Não achávamos que reciclagem era apenas para bairro rico. Toda favela no Brasil é em morro ou fundo de vale. Não tinha coleta, e esse lixo polui os córregos onde as crianças brincam. Decidimos comprar o lixo da população, trocando por vales transporte. É mais caro despoluir depois.”

Prefeito vs. governador

“Gostei muito mais de ser prefeito que governador. Está mais perto do fazer, há resultados mais concretos. Como governador, você depende mais da política econômica do país e tive que sofrer o ajuste da primeira vez que a Lei de Responsabilidade Fiscal foi implementada. Ser prefeito é sentir a sociedade antes. É ter equipes de artistas, de intelectuais, de gente que se adiante, não apenas fique reagindo. É ter senso de humor, as pessoas precisam querer trabalhar com você.”

Equipes despreparadas

“Até prefeitos sensíveis, com boas intenções, não conseguem ter equipes com a qualificação necessária porque precisam governar em coalizão. Aceitam indicados de outros partidos que não têm a menor ideia. Quando criamos o IPPUC [Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba], queríamos ter um corpo técnico cuidando do urbanismo, com continuidade. Poucas cidades do Brasil fizeram algo parecido.”

08/09/2016  02h00

Ver:
IPPUC – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba
Trailer: Jaime Lerner – Uma História de Sonhos

Encontro com Candidatos a Prefeito dia 13 – Terça em Itaipava

O Petrópolis Convention & Visitors Bureau, em parceria com o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, convidam  para um encontro com os candidatos a prefeito de Petrópolis.

Todos os candidatos confirmaram presença.

Cada um terá um mesmo tempo, pré-determinado, para falar sobre suas propostas para o município.

O Projeto Araras, ong muito atuante de Araras, a NovAmosanta – Distritos de Petrópolis, igualmente ativa, e o Tour da Experiência, projeto vitorioso de turismo, são algumas dentre diversas  instituições que estarão presentes com suas perguntas aos candidatos.

Será um excelente momento para conhecer pessoalmente os candidatos e seus planos para o município.

Terça dia 13 de setembro – 18 horas
Centro de Convenções do Flat Itaipava Center
Estrada União e Indústria, 10.337, Itaipava.

Sérgio Mattos é pré-candidato a Prefeito pelo PPS; Vice sai em Março

terça-feira, 01/12/2015
Rômulo Barroso – romulobarroso@diariodepetropolis.com.br

[Diário de Petrópolis]

O PPS vai lançar nome próprio na eleição a prefeito em 2016. O presidente municipal da legenda, Sérgio Mattos, é o pré-candidato. A chapa será finalizada em março. Até lá, o partido vai negociar apoios e, só depois de saber se fará parte de alguma coligação, saberá se também terá o nome vice-presidente ou se aceitará uma indicação. O que já está definido é que a sigla quer ser a protagonista da chapa.
– De início, estamos indo sozinho. Mas estamos conversando com partidos e negociando. Mas já está decido que nós vamos liderar a chapa. Se alguma legenda se coligar com a gente, vamos aceitar a indicação a vice, caso contrário, já temos um possível nome que pode ser – informou Sérgio Mattos. Ele prefere não revelar com quais siglas mantém conversas, nem quem seria esse vice, mas esse nome viria a Educação.
A vontade de lançar um candidato a prefeito foi o que fez o PPS desistir de apoiar o PSDB, quando os tucanos começaram a mostrar que tinham a intenção de ter uma chapa própria também.
– Já tem pelo menos um ano e meio que discutimos isso e vimos que precisávamos ter um candidato pela dificuldade governo. Apesar de ter os conselhos municipais, percebemos que era hora de participar mais, de colocar o nosso trabalho a mostra. Então essa decisão de sair partiu de lideranças do partido – disse, afirmando que o governo municipal tem agido apenas para ganhar votos e não pensando na cidade a longo prazo. Entre as medidas consideradas “populistas” pelo presidente do PPS em Petrópolis estão extensão de linhas de ônibus em alguns bairros e asfaltamento de ruas.
Sobre a eleição para o Legislativo, Sérgio Mattos acredita ser possível conseguir uma cadeira. Para isso, aposta em nomes novos, que nunca se candidataram e não possuem nenhuma marca política. Um dos que já pode ser apontado como pré-candidato a vereador é Luciano Moreira, do Bingen, que trabalha na área de consultoria de gestão, produção e vendas. A estratégia é encontrar representantes em diferentes bairros que possam espalhar o PPS por toda a cidade.

– Nesse momento, nós estamos fazendo um trabalho de base para desenvolver nosso nome. Vamos entrar para ganhar, queremos chegar ao segundo turno. Estamos trabalhando calados, porque quanto menos falar, melhor. Sabemos que vai ser uma eleição difícil, complicada para todos, mas queremos nos apresentar como terceira via – encerra Sérgio Mattos.

http://diariodepetropolis.com.br/integra/sergio-mattos-e-pre-candidato-a-prefeito-pelo-pps-76851