NovAmosanta está com o Projeto Araras: Doação de Cestas Básicas Para Famílias em Situação de Vulnerabilidade !

NovAmosantaLOGO2019

O momento no país é de cuidado e solidariedade. O momento em Petrópolis é de ajudar quem está precisando, e não são poucos. O Corona vírus está trazendo tensão adicional, impactando as atividades das pessoas e prejudicando sua economia.

O Projeto Araras, entidade de luta em prol das pessoas, em prol das questões ambientais e da qualidade de vida, lança um projeto de  “DOAÇÃO DE CESTAS BÁSICAS PARA FAMÍLIAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL“.

Do site do Projeto Araras:

Nossa campanha servirá para arrecadar fundos – sob o nosso CNPJ e por isso, com a transparência e prestação de contas necessária a uma OSCIP – e comprar cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade neste momento de covid-19 e isolamento. Para essa triagem, estamos contando com o apoio de lideranças comunitárias da região.

Vamos prestigiar o comércio local, como forma de contribuir com os pequenos negócios.”

A NovAmosanta não poderia deixar de colaborar nessa campanha, e prestar todo seu apoio, tanto divulgando-a quanto colaborando financeiramente.

Assim, a contribuição financeira integral que a NovAmosanta receberá dos associados no próximo trimestre será destinada integralmente ao Projeto Araras para a compra das cestas: vamos minorar a aflição de quem, nesse momento, enfrenta sérias dificuldades.

E nossos associados, no próxima contribuição trimestral, terão a oportunudade de colaborar adicionalmente para esse projeto, bastando contribuir com um valor acima do habitual da trimestralidade.

Reproduzimos adiante orientações para colaborar do blog do Paojeto Araras.

projetoAraras


[ do Projeto Araras… ]

Faça a sua doação pelos seguintes meios:

LINK DO PAYPAL:
https://www.paypal.com/donate/?token=LmIB-GgYBpoeWy19OulImve4zUnIXDDTs1lydeo_kdv-YHgEHfD6gu_2yVrenYRBAyb5D0&country.x=BR&locale.x=BR

CONTA  PARA DEPÓSITO OU TRANSFERÊNCIA:
Banco Itaú – Agência 8062
Conta Corrente: 09543-8
CNPJ: 04.242.221/0001-27

Caso faça depósito ou transferência bancária, por favor,  envie o comprovante para:
projetoararas@projetoararas.org.br

Nós faremos a encomenda das cestas e a entrega será feita por delivery e/ou por agentes e lideranças comunitárias de Araras dispostos a ajudar.

Esperamos por você!

Essa é a ponte solidária que precisamos fortalecer nesse momento.

Diretoria do Projeto Araras
www.projetoararas.org.br

 

NovAmosanta quer BR-495 na concessão, mas sem pedágio; presidente da instituição falou ao Diário sobre o assunto, que entrará em debate no segundo semestre

br495foto

Original Diário de Petrópolis – Philippe Fernandes (22/2/2020)

A inclusão da Estrada Philúvio Cerqueira (a BR-495, que liga Petrópolis a Teresópolis) no edital de nova concessão da BR-040 chamou a atenção dos petropolitanos. A inclusão faz parte de uma estratégia do Ministério da Infraestrutura para poder entregar à iniciativa privada rodovias que não têm movimento necessário para viabilizar financeiramente uma única concessão. Só haverá uma definição quando o edital for publicado, mas a possibilidade da inclusão de pedágio na rodovia que liga as duas cidades da região serrana já está sendo debatida pela sociedade civil organizada, com algumas pessoas até defendendo a exclusão da BR-495 da concessão. De acordo com a NovAmosanta, entidade que representa moradores dos distritos, o meio-termo é a melhor solução: a Petrópolis – Teresópolis dentro da nova concessão, mas sem a cobrança de tarifa, principalmente no trecho urbano.

É importante destacar, como o Diário divulgou com exclusividade, no início do mês, que o secretário nacional  de Transportes, coronel Marcello Costa, informou ao deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ) que não haverá cobrança de pedágio na BR-495. Em entrevista ao Diário, o presidente da NovAmosanta, Jorge de Botton, destacou que o importante, agora, é debater o assunto com racionalidade, ponderando o que a rodovia precisa para oferecer uma melhor solução. De acordo com ele, até pelo fluxo de veículos que a Philúvio Cerqueira possui, não é necessário realizar grandes investimentos, como a duplicação, por exemplo. Por conta disso, também não seria necessária a instalação de uma praça de pedágio.

– A estrada precisa de algumas intervenções. Creio que esta questão não está definida, mas creio ser um erro  defender a exclusão da BR-495 da concessão. O que a gente deve discutir é: o que queremos e o que não queremos? É preciso que a estrada seja mais bem mantida do que é hoje, e de pequenos investimentos. No trecho urbano, por exemplo, não existem calçadas nem acostamento. Nesta parte da estrada, está sendo finalizado um empreendimento imobiliário com 800 apartamentos, que deverá ter um impacto de 20% na população de Itaipava. Então, a questão é: estamos satisfeitos com a situação atual ou queremos que seja feito o mínimo? – questionou.

Jorge de Botton sustenta que a estrada precisa de melhorias simples, como o alargamento de alguns trechos, a construção destas calçadas e acostamentos e a adoção de soluções em mobilidade como uma ciclovia, uma vez que a área urbana é reta e a instalação de uma faixa para bicicletas poderia ajudar a amenizar o tráfego para pequenos deslocamentos.

– A via tem baixo volume de tráfego em toda a sua extensão, e grandes intervenções trariam impacto ambiental terrível. Como não há a necessidade destes grandes investimentos, não existe razão em ter pedágio. No entanto, há a necessidade de uma melhor manutenção, que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) não tem condição de fazer, e pequenas obras. A questão é fazer o debate de uma forma inteligente, para que a gente atinja um objetivo de acordo com as necessidades da região – lembrou.

O presidente da NovAmosanta disse que é preciso ser realista.

– Não podemos correr o risco de a situação continuar como está: a rodovia não ser concedida e sem a previsão de investimentos, uma vez que nem o DNIT tem esses recursos, nem as Prefeituras das duas cidades – destacou.

Ministro falou sobre a estratégia de concessões

Conforme o Diário mostrou no sábado, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, falou sobre a estratégia de incluir rodovias menos movimentadas nos editais de concessão das principais estradas do Rio de Janeiro – neste ano, vão à leilão as administrações da Presidente Dutra, Washington Luiz e da Rio – Teresópolis. Em debate realizado em Seropédica sobre o edital da Dutra, Tarcísio explicou o porquê de incluir a rodovia Rio – Santos naquela concessão. Apesar de o ministro não ter citado, a lógica também vale para a inclusão da BR-495 (Petrópolis-Teresópolis) no novo edital da 040, uma vez que a modelagem é praticamente a mesma.

– É uma questão de distribuição de políticas públicas. A Dutra tem uma capacidade de tráfego e um pulmão financeiro que pode suportar a Rio – Santos, que não tem fôlego para suportar sozinha uma concessão. Aí as pessoas dizem que é injusto o usuário da Dutra pagar pela Rio – Santos. Não é. Isso é política pública. Eu vou pegar a estrada que gera maior receita e vou fazer obra, duplicação, investimentos, garantindo segurança para aquele segmento – disse.

 

 

Nova concessão da BR-040: prefeitura apresenta estudo sobre as necessidades de intervenções na nova concessão

Matéria: Diário de Petrópolis 22/22/2020.

Documento foi entregue a representantes do IFC - Internacional Finance Corporation - World Bank Group (à esquerda Jorge de Botton, presidnte da NovAmosanta
Documento foi entregue a representantes do IFC – Internacional Finance Corporation – World Bank Group (à esquerda Jorge de Botton, presidente da NovAmosanta – destaque do blog)

 

A necessidade da retomada da obra da Nova Subida da Serra, a redução do valor do pedágio com cobrança proporcional, recolocação do posto da PRF no Belvedere e a construção de melhorias em acessos urbanos são alguns dos pontos destacados no levantamento feito pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico em parceria com a NovAmosanta para mostrar o que deve ser levado em consideração na modelagem da nova concessão da BR-040. O documento foi entregue nessa sexta-feira (14.02) para representantes do IFC – Internacional Finance Corporation – World Bank Group. O IFC está atuando na estruturação das novas concessões das rodovias do Estado, junto com a EPL – Empresa de Planejamento e Logística e Minfra – Ministério da Infraestrutura. O objetivo foi  chamar a atenção sobre os pontos que devem estar incluídos no edital para que a nova empresa dê andamento as solicitações.

O levantamento foi entregue pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini e Jorge de Botton, da NovAmosanta, para João Vitor Pereira – consultor do IFC e para Fernando Camacho – Consultor oficial de Investimentos de Parcerias Público Privadas do IFC.

“A prefeitura vem lutando por melhorias na BR-040 há muito tempo. Precisamos que a estrada volte a ter a manutenção adequada, mas, também precisamos que sejam construídos alguns acessos e a ligação Bingen-Quitandinha tem que ser feita. Já estivemos em Brasília e entregamos esse documento e, agora, mais uma vez, estamos mostrando que Petrópolis não vai parar de lutar pelas melhorias necessárias”, explicou o prefeito Bernardo Rossi.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Fiorini, o encontro foi positivo.  “O prefeito Bernardo Rossi incumbiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de acompanhar todos os trâmites do processo que escolherá a nova concessionaria da BR-040. Petrópolis já foi muito prejudicada nos últimos anos e foi pensando nisso que um estudo detalhado foi feito, mostrando tudo o que deve ser incluído na nova modelagem para que as necessidades dos moradores de Petrópolis, os mais afetados pelo atual abandono da estrada, sejam atendidas”, afirmou Marcelo Fiorini.

O levantamento relaciona as intervenções no trecho da BR-040 compreendido entre seu entroncamento com a Avenida Brasil (km 124) e a Praça de Areal, situada no km 45. “São intervenções que julgamos essenciais e, em alguns casos, emergenciais para o desenvolvimento econômico e mobilidade de Petrópolis”, acrescenta Fiorini.

Entre os pontos apresentados no levantamento estão:

  • importância da retomada da obra da Nova Subida da Serra,
  • melhoria do acesso da BR-040 para a Avenida Brasil e Linha Vermelha,
  • viabilização da estrada Parque (quando a atual pista de subida parar de funcionar),
  • eliminação de cruzamentos em nível em Araras/Vale das Videiras e Fazenda Inglesa;
  • criação de vias marginais para tráfego local no trecho de Itaipava;
  • criação e melhoria de acessos interligando os dois lados da rodovia nos acessos – Duarte da Silveira;
  • acesso à comunidade Leonardo Boff;
  • acesso ao Carangola;
  • acesso à Feirinha de Itaipava – rotatória de Bonsucesso;
  • acesso à BR-040 (Bramil) / BR-495;
  • acesso à ponte do Aranha-Céu;
  • acesso ao Castelo de Itaipava;
  • acesso ao Condomínio Industrial da Posse – Revisão dos acessos à Av. Brasil e Linha Vermelha;
  • manutenção da atual Subida da Serra na futura concessão e uso do túnel, compatibilizando com uso misto de Estrada Parque no futuro;
  • transferência do local da praça de pedágio e adoção de tecnologia (free flow), a fim de melhorar a isonomia do uso da tarifa da rodovia e
  • a incorporação de medidas sugeridas pelo MPF quanto a postos de Polícia Rodoviária Federal, em especial no Belvedere, com disponibilização de informações, imagens, comunicação, bem como outros apoios que se fizerem necessários para a garantia da segurança na rodovia.

Na última semana, o prefeito Bernardo Rossi e o secretário de Desenvolvimento Econômico também participaram de um encontro em Caxias com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia com o da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Durante o encontro foram abordadas as diretrizes que subsidiarão a modelagem das novas concessões nas rodovias federais. De acordo com Rodrigo Maia e Tarcísio Filho, serão investidos mais de R$ 15 bilhões em investimento no estado só nas rodovias. A primeira concessão que está sendo planejada é a da Dutra que está na fase de consulta pública. Dando sequência será a vez da CRT e depois, a BR 040 também entrará na programação.

Vale destacar que, em setembro de 2019 a prefeitura também entregou à ANTT e à EPL, documento com as mesmas sugestões de intervenções que devem ser previstas no novo edital para concessão da BR-040.

“A BR-040 é muito utilizada pelos petropolitanos que trabalham no Rio e também pelos turistas e a falta de manutenção atrapalha a rotina dessas pessoas, afasta visitantes e prejudica os empresários que precisam escoar seus produtos pela Br-040. Queremos que o governo federal esteja atento às nossas solicitações”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

_______________________________________________