Não Basta Atrair Turistas

PAULO HANSTED – Empreendedor com formação em Marketing na Universidade da Califórnia

(publicado originalmente na Tribuna de Petrópolis)

Paulo Hansted
Paulo Hansted

Há alguns anos, quando a banda larga e os smartphones ainda engatinhavam no Brasil, fui chamado por uma grande empresa de telefonia móvel para participar de um desafio para o qual ninguém tinha uma resposta. O desafio envolvia o governo de Santa Catarina e algumas de suas mais lindas e festejadas cidades, Florianópolis, Balneário Camboriú, Blumenau e Joinville. Como introdução sabia apenas que a missão girava em torno uma inquietação do governador com o tema turismo. Sendo um razoável conhecedor do quanto é difícil fazer turismo em nosso país, imaginei que a pauta envolveria a ambição de se atrair um maior número de visitantes para a região.

Os investimentos na área de turismo no Brasil são pífios, se comparados até mesmo com países vizinhos. Enquanto Colômbia e Equador, investem algo em torno de US$ 100 milhões por ano, por aqui os investimentos não chegam à casa do US$ 20 milhões. Não fica difícil compreender porque ocupamos apenas a 7ª posição no ranking de países mais visitados na América, e não figuramos entre os 50 destinos que mais atraem turistas no mundo.

No entanto, Santa Catarina possuía três cidades entre as 10 mais visitadas por estrangeiros no país em 2016. Florianópolis, Bombinhas e Balneário Camboriú, ocupam a respectivamente a segunda, sexta e oitava posições no ranking. Por conta disto, e somando-se ainda a força da região na atração do turismo interno, o então governador Luiz Henrique da Silveira expôs um cenário ainda mais complexo e surpreendente, que nos fez compreender sua inquietação. Ele dizia que o desafio de Santa Catarina não era o de atrair mais turistas e sim o de dinamizar o valor econômico gerado pelos turistas.

Sim, a questão é simples de se compreender e não é uma particularidade de Santa Catarina. Estados e municípios fazem de tudo para atrair visitantes, no entanto a falta de estrutura de suporte e orientação adequados, fazem com que estas pessoas que chegam acabem por interagir pouco com as cidades. No raciocínio lógico do governador, um turista que por ausência informação organizada e disponibilizada na hora e da forma correta, visite hipoteticamente cinco destinos na cidade, vai deixar recursos, dinheiro para ser mais claro, restrito ao universo limitado de ambientes com o qual interagiu.

Do contrário, se a estrutura de acesso a informação sobre o que pode fazer na cidade for farta e disponibilizada da forma adequada, os estímulos para interagir com mais locais se multiplicam. Desta forma, visitando mais lugares, se envolvendo mais com tudo o que a cidade pode oferecer, este mesmo turista consome mais, gasta mais e por conta disto, movimenta mais a economia, deixa mais recursos na região.

Segundo a Santur (Secretaria de Turismo do Estado de Santa Catarina), em um período de temporada o Estado recebe algo em torno de 5 milhões de visitantes, que permanecem um tempo médio de 4 dias na região e movimentam um ticket médio na casa de R$ 300 durante a permanência, um valor muito baixo, reflexo da ausência de mecanismos de inteligência e suporte. Se há 5 anos, os mecanismos para dinamizar de forma coordenada as ambições do governador eram ainda um tanto escassos, com a popularização e disseminação da banda larga e das plataformas digitais, não há mais justificativa para não se reorganizar esta equação. Com um investimento coordenado, soluções multiplataforma especificamente desenvolvidas para este fim, podem transformar cidades analógicas em cidades interativas. Onde quer que esteja, da forma que preferir, o turista pode ter acesso a um pacote de informações e estímulos que vai estreitar a relação de engajamento com tudo o que a cidade oferece.

Na web, onde as pessoas tendem a ter menos pressa, o usuário pode estabelecer os primeiros contatos com a região e suas atrações. Dinâmica essencial até para se planejar e decidir pelo destino. No mobile, quando já no local, o turista pode consultar e receber estímulos personalizados de atrações por perfil, distância, gênero, a cidade na palma da mão. Através de códigos bidimensionais aplicados a atrações turísticas e fazendo uso do celular, pode-se acessar vídeos, textos e fotos que vão enriquecer a experiência do visitante.

Como resultado, mais turistas vindo, mais turistas indo e compartilhando suas impressões positivas, mais dinheiro circulando, gerando empregos e desenvolvimento para a região. Quem ganha com isto? Os turistas, o comércio e o próprio cidadão. Estimamos que a adoção do sistema de cidades interativas na região, possa não somente aumentar o tempo de permanência, mas acima de tudo dinamizar o valor econômico gerado pelo turista, podendo mais do que dobrar o ticket médio de consumo.

A ambição do governador estava certa, de nada vale atrair mais turistas, se antes não se oferecer a estrutura de suporte necessária para estimular o engajamento. Ao empoderarmos o turista, a cadeia de benefícios tende a ser exponencial e o poder de conversão de valor passa a traduzir efeitos determinantemente superiores aos custos e energia necessários para atrair ainda mais visitantes.

 

Convite: dia 23 de junho, Sexta-Feira, Abertura da 28a. Bauernfest em Petrópolis !

A Prefeitura de Petrópolis, o Instituto Municipal de Cultura e Esportes,
a Turispetro e o Clube 29 de Junho
têm a Honra de convidá-lo a participar da
abertura oficial da 28a. Bauernfest.

Data: 23 de junho às 19 horas.
Local: Palácio de Cristal, Petrópolis, RJ

Bernardo Rossi
Prefeito

Marcelo Valente
Secretário da TurisPetro

Leonardo Randolfo
Diretor-Presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes

A festa é de 23 de junho a 2 de julho !

(ver links ao fim da página…)

BauConvite

 

Links:

1. Bauernfest no site da prefeitura de Petrópolis

2. Site Oficial Bauernfest 

 

baurnfestPalacio

 

 

Começa 23 de Junho em Petrópolis: BAUERNFEST – A FESTA DO COLONO ALEMÃO

baurnfestA Bauernfest é a maior festa de Petrópolis e o segundo maior evento do Brasil, em sua categoria é também o mais importante da Região Sudeste. Em 2017 a festa chega a sua 28ª edição.

Tudo começou desde o inicio do século XX quando os filhos e netos dos primeiros colonos organizavam quermesses em casas e barracões no bairro Fazenda Inglesa, nessas pequenas quermesses havia músicas, danças e culinária típica com o intuito de retornar as origens germânicas.

Contudo, em 1983, no Clube 29 de Junho – que reúne os descendentes da colônia – surgiu a ideia de transformar a iniciativa em uma festa que pudesse levar a todos o conhecimento da história e tradições dos alemães de Petrópolis. Tendo mais tarde, em 1990, o apoio da prefeitura de Petrópolis, profissionalizando o evento que a partir daí tomou uma maior proporção e que vem crescendo cada vez mais a cada ano com novos recordes de público em suas edições.

Hoje a festa acontece durante duas semanas inteiras com programações e eventos rolando no decorrer dos dias.

A Bauernfest contará com 03 palcos e centenas de atrações para todo o público e família, mantendo vivas as tradições germânicas. Outras atrações da Bauernfest que podemos citar… (continua aqui)

Cidadania e Engajamento: uma proposta para a cidade de Petrópolis – Segunda dia 22 de Maio

O Conselho Comunitário de Segurança (do Instituto de Segurança Pública RJ) e o

Petrópolis Convention & Visitors Bureau convidam para o encontro

“Cidadania e Engajamento: uma proposta para a cidade de Petrópolis”

  • Boas-vindas – Presidente do CCS
  • Palestra de Kátia Manangão – Coach, Jornalista, Publicitária e Profissional de Marketing
  • Turismo e a Comunidade – Presidente do PC&VB
  • Apresentação da Campanha #TodosporPetrópolis Linda e Segura – Comitê Gestor.

Público-alvo: empresários, líderes setoriais e comunitários, profissionais envolvidos direta e indiretamente com a atividade turística, participantes da campanha #TodosporPetrópolis Linda e Segura, líderes das Forças de Segurança, cidadãos de Petrópolis.

Dia 22 de maio (segunda-feira), às 8h30 no
Hotel Casablanca Imperial
Rua da Imperatriz, 286 – Centro Histórico.

palestra2

Luiz Saldanha: 'O cicloturismo no estado começará por Niterói' (e Petrópolis?)

(de O Globo)…

Qual o maior desafio para o cicloturismo em Niterói?

Começamos o planejamento pela região das praias da Baía. É um local de muita movimentação entre o Centro e Icaraí. O grande desafio em qualquer local é quebrar o planejamento setorizado, de pensar o turismo só como turismo, e o transporte como transporte. Precisamos enxergar os dois de forma integrada.

Qual região de Niterói tem mais potencial para atrair turistas de bicicleta?

Temos um apreço muito grande pela região do Centro Histórico, como Portugal Pequeno. O projeto vai mostrar para o cicloturista que Niterói tem sua importância cultural, por conta das obras do Niemeyer e das belezas naturais. Com a Transoceânica, teremos um novo horizonte. O caminho de Darwin é um circuito moderado e um local muito importante historicamente e que podemos explorar internacionalmente.

Como conseguir recursos para viabilizar o projeto?

Uma grande barreira é a falta de recursos porque sabemos que o Brasil todo está em crise. Começamos a levantar os trajetos, por onde as pessoas chegam e os caminhos que mais usam. Foram delineadas as ciclorrotas. Estamos agora na fase final do estudo. O I Encontro Para o Desenvolvimento do Cicloturismo será importante porque estamos unindo a sociedade civil, o poder público e a comunidade acadêmica em torno do projeto….  (continua)

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/bairros/luiz-saldanha-cicloturismo-no-estado-comecara-por-niteroi-20336211#ixzz4NxdvM7uM
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Estado do Rio pode adotar ICMS turístico beneficiando municípios como Petrópolis

[do Diário de Petrópolis]

Deputado estadual Bernardo Rossi (PMDB)

Cidades fluminenses que investirem em turismo poderão ser beneficiadas com uma fatia maior de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços específico para a área. Assim como o ICMS Verde, que destina recursos para as cidades que investem em preservação, o ICMS Turístico pode ser adotado no Estado do Rio para estimular que os municípios invistam mais em turismo. Indicação legislativa do deputado estadual Bernardo Rossi (PMDB) tramita na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) com a expectativa do ICMS Turístico estar em vigor em 2016.

Com a nova regra, Petrópolis, que recebe mais de um milhão de visitantes por ano, será uma das maiores beneficiadas. A lei não estabelece a criação de um novo imposto, mas a destinação de uma parcela significativa dos R$ 25 bilhões do total de ICMS gerado no Estado anualmente para ser aplicado especificamente no Turismo.

(continuar lendo:  aqui)

NovAmosanta na Audiência Pública "Levantamento das Necessidades das Regiões Turísticas do RJ"

MELHORIA DE ESTRADAS DE ACESSO A PETRÓPOLIS É DISCUTIDA EM AUDIÊNCIA

Alerj - 18/8/2015

A construção de um centro de convenções e a melhoria das estradas de acesso a Petrópolis foram algumas demandas trazidas por representantes do setor turístico da cidade para a audiência da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), ocorrida nesta terça-feira (18/08), no Palácio Tiradentes.

Presidente da Petrópolis Convention & Visitors Bureau, Camila Thees disse que, para desenvolver a região, conhecida como Serra Verde Imperial, é preciso melhorar as condições de estradas como a RJ-107, que liga Petrópolis a Paty do Alferes, e a RJ-117, que vai de Imbariê (em Duque de Caxias) a Petrópolis.

“São demandas muito importantes para a nossa cidade. Mas, viemos aqui conversar com os deputados para entender o que eles conhecem da região, para que, dessa forma, possam apoiar a questão do marketing turístico da serra e da rota cervejeira”, acentuou Camila.

Sobre as rodovias, o diretor da ONG NovAmosanta, Jorge Debotton, apresentou propostas de mobilidade e integração turística: a implantação de uma “estrada-parque”, preservando a região de Mata Atlântica no acesso a Petrópolis, e a recuperação da Estrada União-Indústria, parte da rodovia BR-040, que liga o Rio a Juiz de Fora.

Presidente da comissão, o deputado Doutor Sadinoel (PT) afirmou que o objetivo do grupo é discutir as demandas de todas as regiões para fazer um levantamento das necessidades de cada uma. “O fomento da Região Serrana é essencial. Primeiro, precisamos resgatar a autoestima do povo da serra, que ainda está traumatizado com a catástrofe das chuvas. Em um segundo momento, podemos reestruturar economicamente a região para que se possa dar dignidade aos cidadãos mais humildes, fomentando a economia do Estado do Rio”, disse o deputado.

Sadinoel anunciou que pretende que a próxima reunião da comissão seja sobre Búzios e a Região dos Lagos. De acordo com o parlamentar, é necessário discutir a possibilidade de as competições de vela das Olimpíadas Rio 2016 serem transferidas para a cidade. Também participaram da audiência os deputados Comte Bittencourt (PPS), Jânio Mendes (PDT) e Wanderson Nogueira (PSB), além do diretor da TurisRio, Sérgio Mello, e do diretor de Planejamento da Secretaria de Estado de Turismo, César Werneck, entre outros.

(Texto de Priscilla Binato)

http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo.asp?num=49855

Estado Concede Licença prévia para Construção de Complexo Turístico em Secretário

[clippping – notícia de 2014 mas atual ]

RIO — “Acabou o aconchego e o sossego do vilarejo”. Assim reagiu a empresária e paisagista Rachel Simas ao saber que a Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca), órgão da Secretaria estadual do Ambiente, concedeu licença prévia para a implantação de um complexo imobiliário, hoteleiro e esportivo em Secretário, distrito de Petrópolis. A decisão foi publicada no Diário Oficial no dia 22 de maio. O lugarejo, na Região Serrana, que ainda conserva uma vida pacata, é cada vez mais procurado pelos que querem fugir da agitação.

VEJA A ÁREA DO PROJETO EM SECRETÁRIO

Igreja construída em 1897 na Estrada de Maquiné, em Secretário - Gustavo Miranda / Agência O Globo (12/03/2014)

Planejado numa parceria entre a Plarcon Engenharia, o grupo inglês International Golf and Resort Management (IGRM) e a empreiteira João Fortes, o projeto chama a atenção pelos números superlativos. A 27 quilômetros do Centro de Petrópolis, ocupará uma área de seis fazendas.

A ideia é erguer um hotel cinco estrelas, um quatro estrelas, um outro dotado de centro de convenções, um hotel butique e o chamado Hotel da Academia de Golfe, além de quatro campos de golfe numa área de 11 quilômetros quadrados. O projeto será concluído em até 30 anos, divididos em várias etapas.

Para o empresário Flávio Salles, que mora no lugar há 15 anos, a preocupação é com a escassez da água. Segundo ele, o vilarejo já perdeu várias nascentes:
— Isso é um acinte. É preocupante que um órgão responsável pela preservação do meio ambiente permita a construção de um complexo desse porte numa época de crise hídrica.

De acordo com a legislação ambiental, a licença prévia não autoriza o início da obras, mas apenas aprova a localização, a concepção e a viabilidade ambiental, estabelecendo os requisitos básicos e as condicionantes que devem ser atendidas. A autorização para as obras só acontece com a Licença de Instalação.

Por meio de nota, a Plarcon explicou que foi feito um Estudo de Impacto Ambiental de mais de 1.000 páginas para a obtenção da Licença Prévia. “Tínhamos certeza de que este dia chegaria pois cumprimos todos os requisitos ambientais”, diz a nota, assinada pelo vice-presidente da empresa, Claudio Neves.

A primeira fase do projeto é a construção de um campo de golfe de 18 buracos, um hotel cinco estrelas de 140 quartos, um condomínio e um projeto ambiental. O empreendimento causa muita polêmica entre moradores e proprietários e foi alvo de várias audiências públicas.
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/estado-concede-licenca-previa-para-construcao-de-complexo-turistico-em-secretario-16271378#ixzz3bRURwyN8