Pesquisa Fapesp – Modos de restaurar as Florestas (Jan 2016)

Com o início do Programa de Regularização Ambiental, os proprietários rurais serão obrigados a restaurar áreas desmatadas ilegalmente no passado. O professor da Esalq-USP Ricardo Rodrigues e o diretor do Instituto de Botânica de São Paulo Luiz Mauro Barbosa apresentam uma nova metodologia de recobrimento de floresta, mais eficiente e com menor custos.

Saiba mais em: http://revistapesquisa.fapesp.br/2015…

Obtenha a publicação
“Lista de espécies indicadas para restauração ecológica para diversas regiões do estado de São Paulo”:
http://www.ambiente.sp.gov.br/institu…

Obtenha a publicação
“Implantação de viveiro de mudas — manual de orientação”:
http://www.ambiente.sp.gov.br/cea/fil…

Dá Pé Reflorestar o Brasil ! – Iniciativa Um pé de quê / SOS Mata Atlântica

A NovAmosanta apoia e propõe: adote uma árvore e promova o reflorestamento da Mata Atlântica.

Com diversas opções para sua escolha, convidamos você a apoiar essa idéia de uma forma inteligente e participativa.

Faça parte dela e faça sua parte.

Campanha e Levantamento de fundos (Kikante):
https://www.kickante.com.br/campanhas/da-pe-reflorestar-o-brasil


Edital Seleciona Projetos para Recuperação de Nascentes e Margens de Rios

Cercamento de Nascente - Foto: Rossini Sena / Banco de Imagens ANA

O Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) está com edital aberto para seleção de propostas voltadas à recuperação da vegetação nativa de Áreas de Preservação Permanente (APP), que inclui o entorno de nascentes e faixas às margens de mananciais para ampliar a oferta de água em regiões metropolitanas com alta criticidade hídrica. No total, os projetos selecionados receberão R$ 45 milhões, sendo que cada um deles receberá de R$ 1,5 milhão a R$ 3 milhões. O prazo máximo para execução dos trabalhos é de 48 meses. As inscrições vão até 8 de novembro e podem ser realizadas via SICONV no Programa 4420420150001.

Os recursos deverão ser aplicados em assentamentos e propriedades rurais familiares em bacias hidrográficas que contribuam direta ou indiretamente para abastecer reservatórios de 18 regiões metropolitanas com criticidade hídrica. São elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Distrito Federal e Entorno, Salvador, Recife, Fortaleza, Curitiba, Campinas, Goiânia, Grande Vitória, Baixada Santista, Natal, Grande São Luís, Maceió, João Pessoa, Norte e Nordeste Catarinense. Com o edital, a expectativa é recuperar até 10 mil hectares de margens de rios e entorno de nascentes em quatro anos.

Podem participar da seleção instituições públicas municipais ou estaduais, instituições privadas sem fins lucrativos que atendam à Portaria Interministerial nº 507/2011 e as concessionárias de abastecimento de água – estas só poderão concorrer aos R$ 8 milhões de recursos do Fundo Socioambiental Caixa. As instituições públicas e concessionárias deverão aplicar recursos financeiros próprios na execução das propostas como contrapartida proporcional ao valor recebido, conforme determina o edital. As instituições privadas não precisam aplicar recursos financeiros nem bens e serviços próprios como contrapartida.

Este edital foi inspirado no Programa Produtor de Água, iniciativa da Agência Nacional de Águas (ANA) que estimula a conservação de água e solo através do pagamento por serviços ambientais (PSA) para produtores rurais. Seis entidades financiarão os projetos selecionados: ANA, Fundo Nacional do Meio Ambiente, Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal, Fundo Nacional de Mudanças do Clima (os três no âmbito do Ministério do Meio Ambiente), Fundo de Defesa dos Interesses Difusos (Ministério da Justiça) e Fundo Socioambiental da Caixa.

Informações

Mais informações sobre a seleção devem ser solicitadas através do telefone (61) 2028-2160, do e-mail fnma@mma.gov.br, do site www.mma.gov.br/apoio-a-projetos/fundo-nacional-do-meioambiente ou no endereço do Fundo Nacional do Meio Ambiente: SEPN 505, Bloco B. Ed. Marie Prendi Cruz, 3º Andar, CEP: 70730-542, Brasília.

Capacitação sobre o edital

Neste mês, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Serviço Florestal Brasileiro (SFB) realizarão cursos para as instituições interessadas em participar do edital com objetivo de esclarecer os aspectos técnicos e financeiros da elaboração de projetos, metodologias de restauração da vegetação e orientar sobre o preenchimento correto dos dados no SICONV. O primeiro curso será entre os dias 19 e 20 e o segundo acontecerá de 21 a 22 de outubro.

As inscrições devem ser enviadas por e-mail para fnma@mma.gov.br com o assunto “Inscrição Capacitação’. No corpo da mensagem deve constar o nome completo do participante, CPF, telefone para contato, data preferencial para fazer o curso, instituição e vínculo. Somente serão aceitos até dois representantes por instituição e os cursos decorrentes da participação nos cursos são de responsabilidade dos interessados no edital.

Texto:Raylton Alves – ASCOM/ANA
Foto: Rossini Sena / Banco de Imagens ANA

Visto em: https://www.facebook.com/axelgrael?fref=nf

Restauração da Mata Atlântica (em inglês) por Nicholas Locke, da Reserva Ecológica Guapiaçu (REGUA), aqui Perto

Vejam este excelente vídeo sobre o esforço privado voluntário de restauração da Mata Atlântica protagonizado pelo Nicholas Locke, da Reserva Ecológica Guapiaçu (REGUA), aqui perto, no município de Cachoeira de Macacu.   (vídeo em inglês)

Parte da área é reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio Natural, RPPN.

Infra-estrutura "Verde", o exemplo de Extrema (MG).

Compartilho reportagem com o exemplo de Extrema (MG).

Infelizmente, diante da grave crise hídrica, iniciativas como essa não são a regra. A maioria das soluções propostas baseia-se, exclusivamente, na infraestrutura cinza, como reservatórios, barragens, transposições, estações de tratamento, fundamental, mas não suficiente.

A “infraestrutura verde”, essencial, é sempre esquecida, como no caso da recuperação das áreas atingidas pela catástrofe de 2011 na nossa Região Serrana.

Com os resultados do nosso Diagnóstico dos Distritos poderemos ter a exata dimensão das áreas preservadas pelos proprietários privados, que poderiam ser objeto de um programa de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) e/ou isenção fiscal e as áreas prioritárias para programas de reflorestamento.

Uma boa agenda para 2015.

Yara Valverde – NovAmosanta

http://redeglobo.globo.com/como-sera/noticia/2014/12/projeto-envolve-proprietarios-rurais-na-preservacao-de-nascentes-de-rios.html

BVRio Selecionada para Concorrer a Prêmio da ONU ! – Parabéns à BV Rio

Recentente a NovAmosanta fez contato e uma reunião com a BV Rio para conhecer sua operação e divulgamos que as suas CRAs – Cotas de Reserva Ambiental poderiam ser uma boa opção para proprietários de terras nos Distritos (ver Bolsa Verde Rio: Exemplo Prático de CRAs)

Hoje temos a satisfação de ver essa entidade atuante e amiga ser premiada pela sua atuação. Ela é uma das 11 finalistas para o prêmio de Inovação Financeira para Mudanças Climáticas.

Parabéns à BV Rio pela realização e boa sorte na disputa !

“Rio de Janeiro, 04 de Dezembro 2014 – A Bolsa de Valores Ambientais foi selecionada como finalista do prêmio “Climate Change Finance Innovation Award”, promovido pelaUNDP  MDG Carbon – United Nations Development Programme, e o banco de investimentos MUMSS – Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities.

O objetivo geral do prêmio é aproveitar a inteligência coletiva de pessoas em todo o mundo para atender à necessidade urgente de mitigação das mudanças climáticas através de conceitos inovadores de financiamento de baixo carbono. Com isto, aumentar os investimentos públicos e privados nos países em desenvolvimento, ajudando-os a alcançar o desenvolvimento sustentável, de baixa emissão de carbono.” (ler mais)

Itaipava a Posse: Falta Floresta nos Morros

De Itaipava até a Posse, ao longo do Rio Piabanha, a vista dos morros que margeiam o rio, identifica total falta de cobertura vegetal.

O centro de Itaipava é um bom exemplo. Para todos os lados que se olhe, o que se vê são morros desprovidos de cobertura vegetal.

Além da importante preservação ambiental, a visão de matas e florestas desempenha, com certeza, uma forte atração turística.

Temos um bom exemplo na cidade de Campos do Jordão em que a natureza é o grande fator de atração de milhares de turistas, permanentemente.

Não se poderia pensar num projeto de re-cobertura florestal desses inúmeros morros?

A Fundação SOS Mata Atlantica desenvolve projetos de recuperação de áreas degradadas, incluindo a recomposição da Mata Atlântica.

Não seria o caso de procurarmos know-how para esse tipo de projeto?

Fernando Varella

Reflorestamento – Sai o Primeiro Edital de PSA: Nossa Prefeitura de Petrópolis irá Propor Algum Projeto?

Informação sobre o EDITAL AGEVAP Nº 04/2014 referente à Seleção Pública de projetos de PSA. (mensagem recebida da AGEVAP)

Itaipava; Créditos da Foto: Curso de Ciências Biológicas do UNIFESO

A ASSOCIAÇÃO PRÓ-GESTÃO DAS ÁGUAS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL (AGEVAP) torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para Seleção Pública de projetos de PSA, elaborados por municípios e/ou instituições executoras, de acordo com o Programa de Pagamento por Serviços Ambientais com foco em recursos hídricos (PSA HÍDRICO), para restauração florestal de até 420 ha de áreas degradadas e conservação florestal de até 350 ha de áreas de florestas na Bacia do Rio Paraíba do Sul, inclusive com o pagamento aos provedores dos serviços ambientais.

Inscrições: 8 de julho a 30 de setembro de 2014.

EDITAL AGEVAP Nº 04/2014
http://www.ceivap.org.br/noticia.php?id=211