Convite: Projeto AMA – Águas da Mata Atlântica, Pagamento aos Produtores de Água

topo

CONVITE

Pagamento aos Produtores de Água

convite

Temos o prazer de convidar os participantes do Projeto AMA – Águas da Mata Atlântica – a participar do evento de pagamento pelos serviços ambientais prestados em áreas de suas propriedades disponibilizadas para a restauração e a conservação da Mata Atlântica em benefício da coletividade.

DIA 15 DE JUNHO – Sexta-feira 10:00 HORAS
Local: Fazenda Vira-Mundo – Estrada do Brejal, Km 1,5

conviteMapa

Mais informações sobre a localização em: https://www.vira-mundo.com/localizacao


Esse foi um convite do Comitê Piabanha nos seguinte termos:

Prezados membros e demais interessados,

Conforme convite anexo, a cerimônia será na sexta-feira, dia 15 de junho, as 10 horas, na Fazenda Vira-Mundo, Posse, Petrópolis/RJ.

A REDEH realizou o projeto de PSA em 60 hectares de área, distribuídos em 11 propriedades em Petrópolis, sendo 30 há na modalidade restauração e outros 30 há na modalidade conservação.

Atenciosamente,

COMITÊ PIABANHA
AGEVAP – Secretaria Executiva do Comitê
24 2237 9913
cbhpiabanha@agevap.org.br
www.comitepiabanha.org.br

 

Projeto vai Catalogar as Águas Escondidas de Niterói

NITERÓI – Depois de Araribóia ajudar os portugueses a expulsar os franceses que ocupavam o Rio no século XVI, Estácio de Sá, sobrinho de Mem de Sá, governador geral do Brasil na época, deu ao cacique o direito de escolher qualquer uma das regiões da Guanabara para viver. Sem titubear, ele apontou para o outro lado da Baía e disse que queria aquela região de “águas escondidas” — Niterói, em tupi-guarani.
Passados cinco séculos, boa parte deste patrimônio natural que deu nome à cidade permanece oculta. Com o intuito de revelá-lo, a Secretaria municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade começou a catalogar, na última semana, nascentes e olhos d’água de três bacias hidrográficas: do Rio das Pedras, do Rio Sapê e do Rio Muriqui. O objetivo é promover ações para preservar as 32 bacias hidrográficas da cidade.

As primeiras ações serão feitas no olho d’água que fica na esquina da Avenida Frei Fabiano com Rua F, em Itaipu. No local, a água de um lençol subterrâneo que pertence à bacia do…

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/projeto-vai-catalogar-as-aguas-escondidas-de-niteroi-20293709#ixzz4NJHCMNXh
© 1996 – 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Manifesto por uma "Nova Cultura de Cuidado com a Água"

O Brasil vive uma situação absurda com relação à água: apesar de ser um país abundante em recursos hídricos, a cada dia os cidadãos vivenciam mais desastres, privações e violações de direitos relacionados à escassez e baixa qualidade do abastecimento de água, assim como as nefastas consequências da falta de saneamento.

Hoje, 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água potável e mais de 100 milhões não têm acesso à coleta de esgotos. Em 2015, um em cada três municípios decretou estado de emergência por causa de estiagem, a maior parte na região Nordeste do País. No mesmo período, mais de 1,6 milhões de casos de dengue foram registrados, sendo 60% deles na região Sudeste. A Grande São Paulo chegou muito perto de um colapso no abastecimento de água para seus 20 milhões de habitantes.

As crises hídricas atuais são uma amostra do que nos espera no futuro, o que torna urgente o engajamento da sociedade e dos governos na construção de uma nova cultura de cuidado com a água.

A Aliança pela Água, articulação da sociedade civil com mais de 60 organizações e movimentos criada em outubro de 2014, reitera a responsabilidade de prefeitos e vereadores em assegurar o acesso pleno da população à água de boa qualidade. Além disso…

Continua aqui…  https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSezWhO3cDi16EAS6aosCU3ZpcIqnu4WQOl295wRFfmJ9sizyw/viewform?c=0&w=1

[indicação Yara Valverde]

Projeto Ambiental com Recursos Aprovados (1,5MR$) aguarda Parado Ação da Prefeitura

O Projeto Adapta Mata Atlântica realizado em 2013, mapeou áreas críticas e vulneráveis do 5o distrito de Petrópolis, definindo as prioritárias para recuperação.

Adapta Mata Atlântica - P.S.A. (Brejal, Petrópolis - RJ)

Em 2014, a AGEVAP – Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul – lançou edital para “projetos que contemplem ações de restauração e conservação florestal, conforme definições do programa de Pagamento por Serviço Ambiental (PSA) com foco em Recursos Hídricos”.

O programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) consiste no pagamento a proprietários rurais pela recuperação e/ou conservação de suas matas com fins de preservação dos recursos hídricos do município.

O projeto AMA 2, da REDEH – Rede de Desenvolvimento Humanofoi selecionado para executar as ações em Petrópolis, promovendo a restauração de 30 ha de florestas degradadas e a conservação de 30 ha de florestas preservadas.

Durante o trabalho serão realizadas atividades de comunicação, divulgação e capacitação visando a disseminação do conceito de PSA e a sensibilização de mais produtores para a importância e a necessidade de conservação e recuperação da cobertura florestal na região.

Entre seus benefícios estão a adequação ao novo Código Florestal, a proteção de nascentes e o recebimento de incentivo financeiro como reconhecimento pelo serviço ambiental prestado.

As propriedades selecionadas receberão, gratuitamente, o serviço de replantio de floresta nativa, incluindo cerca, mudas e tratos culturais. O projeto também prevê a remuneração dos proprietários pelos serviços ambientais prestados por essas áreas à sociedade, durante dois anos.

O contrato entre a REDEH e a AGEVAP foi celebrado no dia 21 de julho de 2015 e teve o seu plano de trabalho aprovado em setembro de 2015.

A REDEH iniciou o trabalho de mobilização, visitando diversos proprietários aos quais apresentou o projeto e buscou sensibilizar.

No dia 30 de setembro de 2015 o modelo de edital de chamamento dos proprietários, etapa seguinte do plano de trabalho, foi enviado à Secretaria de Meio Ambiente. O edital deveria ter sido publicado entre novembro e dezembro de 2015.

É o edital que convoca os proprietários interessados no programa a se cadastrarem para o processo de seleção, que também é realizado com o apoio da Prefeitura de Petrópolis que depois com eles celebra contrato para o pagamento dos serviços ambientais.

Todos os recursos do projeto – contratação da REDEH, mudas, cercas, mão de obra e pagamento dos produtores – são da AGEVAP. O projeto não implica em absolutamente nenhum custo para a Prefeitura de Petrópolis além de algumas horas de trabalho de seus funcionários.

No entanto, desde setembro de 2015 não se consegue avançar e a Prefeitura não tem demonstrado interesse em realizar a sua parte, o que agora ameaça o cancelamento do projeto no município.

Referências:
Vídeo: Adapta Mata Atlântica – P.S.A. (Brejal, Petrópolis – RJ)
https://www.youtube.com/watch?v=PY7d0_hRA2c

AGEVAP – Edital de Seleção Pública para Propostas de Pagamento por Serviço Ambiental
http://ceivap.org.br/edital-004-2014.php

REDEH – Rede de Desenvolvimento Humano
http://www.redeh.org.br/

Ofício enviado à prefeitura de Petrópolis
http://www.distritosdepetropolis.org/arquivosParaDownload/AdaptaMataAtlânticaPSA_Brejal_oficioPrefPetropolis201606.pdf

24/6: Seminário Crise Hídrica no Brasil: Ontem, Hoje e Amanhã

Descrição do evento

SEMINÁRIO CRISE HÍDRICA NO BRASIL: ONTEM, HOJE E AMANHÃ

Embora banhado por um oceano e repleto de rios e lagoas, o Brasil enfrenta uma crise hídrica que vem se agravando nos últimos anos. Por quê? Como chegamos até aqui? E o que pode ser feito para minimizar esse problema no futuro? Para debater essas questões, o Museu do Amanhã e o Projeto #Colabora convidam para o seminário “Crise hídrica no Brasil: ontem, hoje e amanhã”.

DATA:

24 junho
9h — 17h
Auditório -— Museu do Amanhã

Praça Mauá, 1 – Centro. Rio de Janeiro, RJ


PROGRAMAÇÃO

9h — Abertura

Alfredo Tolmasquim (Museu do Amanhã)
Agostinho Vieira (Projeto #Colabora)

9h15 — Palestra

Palestra do professor Carlos Nobre:
A crise hídrica e o aquecimento global

10h — Crise Hídrica Ontem:
como chegamos nesta situação?

Édison Carlos (Instituto Trata Brasil):
Saneamento Básico – o desafio
Marcio Santos (CSEI): O papel da agricultura
Paulo Canedo (Coppe): Uma história de descaso

Mediação — Luiz Alberto Oliveira (Museu do Amanhã)

12h — Crise Hídrica Hoje:
os riscos que corremos

Fernanda Gimenes (CEBDS):
A responsabilidade das empresas
Paulo Rosman (Coppe): Baia de Guanabara
Sandra Azevedo (UFRJ):Doenças de veiculação hídrica

Mediação – Liana Melo (Projeto #Colabora)

15h — Sem Crise Hídrica Amanhã:
o que devemos fazer?

Antônio Félix (ANA) – Os próximos 20 anos
Izabella Teixeira (ex-ministra do Meio Ambiente):
O papel da União
Jerson Kelman (Sabesp): São Paulo não pode parar
Jorge Briard (Cedae) – Gatos, perdas e desperdício

Mediação – Agostinho Vieira (Projeto #Colabora)

17H — Encerramento

Mais informações:  projetocolabora.com.br

Mais informações: https://www.sympla.com.br/seminario-crise-hidrica-no-brasil–ontem-hoje-e-amanha__73261